[Lembranças que o Google não apagou] Vírus notáveis da internet

FazendoAcontecer.net.

Produtividade pessoal com GTD? É no FazendoAcontecer.net.

Como mudar sua vida de forma inteligente? É no FazendoAcontecer.net.

Dicas e truques de internet e computação? É no FazendoAcontecer.net.

Lifehacking? É no FazendoAcontecer.net.
Assine nosso feed RSS.

lembrancas-que-o-google-nao-apagou-transMuitos vírus de computador já marcaram seus nomes na História. Apesar de terem surgido antes da criação da internet, através dela encontraram o meio ideal para se espalharem e, com isso, o auge da fama.

Vários recordes são atribuídos a esses programas de computador: maior dano financeiro, disseminação mais rápida, além de primeiro a fazer isso, primeiro a fazer aquilo e por aí vai. Fato é que motivos variados fizeram com que alguns deles se destacassem.

Estima-se que 3 mil novos vírus sejam criados diariamente no mundo. Em meio a esta verdadeira pandemia, Melissa, ILOVEYOU, Nimda, MyDoom, Bugbear fizeram fama. Vale relembrar os principais personagens desta área — se é que se pode dizer assim — da informática.

Um pouco de história

ataque-virus

O primeiro vírus que se tem notícia foi o The Creeper, criado em 1971 por Bob Thomas e difundido através da ARPANET (uma precursora da internet).

Em 1981 surgiu o primeiro programa que conseguiu se difundir massivamente. Conhecido por Elk Cloner, foi criado por um garoto de 15 anos chamado Richard Skrenta. Infectava computadores Apple II e seu únio mal era exibir um poema a cada 50 inicializações do sistema infectado.

Em 1983 Frederick Cohen cunhou o termo vírus de computador, mas apenas em 1986 aparece o Brain, primeiro capaz de infectar massivamente os PCs, que se tornaram alvo principal destas pragas desde então.

Durante a segunda metade da década de 80 e início dos anos 90, as pragas virtuais ganharam um pouco mais de força com o aumento do uso das BBS, surgimento da internet e o compartilhamento de programas e arquivos.

Em 1988 aparece o primeiro programa a se difundir extensamente usando a internet. O Morris Internet Worm infectava máquinas rodando Unix.

Tem início a fase áurea dos programas maliciosos e, até março de 2009, havia mais de 630 mil vírus conhecidos.

Vírus notáveis da internet

Melissa – Encontrado pela primeira vez no dia 26 de março de 1999, era um vírus de macro que infectava computadores com Microsoft Word 97 e 200 e Excel 97, 2000 e 2003. Sua disseminação começou pelo grupo de discussão alt.sex na Usenet através de um arquivo contendo senhas de sites pornográficos chamado LIST.DOC. O programa se auto enviava para 50 emails da lista de contatos do computador comprometido.

lovelettervbs-iloveyou-virus

ILOVEYOU – Ganhou esse nome por se propagar através de emails contendo ILOVEYOU no campo assunto e o anexo LOVE-LETTER-FOR-YOU.TXT.vbs. Surgiu nas Filipinas e viajou da Asia para a Europa e Estados Unidos infectando 10% de todos os computadores e alcançando 50 milhões infecções. Nesta odisséia, causou prejuízos de 5.5 bilhões de dólares, comprometendo Pentágono, CIA, Parlamento Britânico. Ainda detém o recorde de maior prejuízo financeiro já causado.

Code Red – Identificado em julho de 2001, atacava computadores rodando o sevidor web da Microsoft, IIS e chegou a infectar 359 mil computadores em um dia. Seu criador nunca foi descoberto.

Nimda – Ficou famoso por sua velocidade de disseminação, devido ao uso de várias técnicas diferentes para se propagar. O alerta sobre sua existência foi dado no dia 18 de setembro de 2001 e, por ter aparecido logos após os ataques da Al Qaeda especulou-se que estaria ligado ao grupo terrorista. Porém, a relação não tinha fundamento. Seu nome vem da palavra admin escrita ao contrário.

Bugbear – Surgiu em outubro de 2002 e se disseminou rapidamente através de emails com assuntos aparentemente banais, como “just a reminder,” “bad news,” “interesting”. Explorava uma falha de segurança do Microsoft Outlook, Outlook Express e Internet Explorer e copiava senhas e números de cartões de crédito que as pessoas digitassem. Seu criador também nunca foi pego.

Blaster – Chamado por alguns de Lovesan, contaminava os sistemas operacionais Microsoft Windows XP e 2000. O worm deixava os computadores infectados lentos e atacava o site de atualização da Microsoft windowsupdate.com. Também trazia em seu código a seguinte mensagem contra Bill Gates: billy gates why do you make this possible ? Stop making money and fix your software!! (billy gates por quê você permite que isto seja possível ? Pare de ganhar dinheiro e conserte seu software!!). Desenvolvedores de alguns variantes foram presos, porém o autor do código original não foi encontrado.

MyDoom – Surgiu em janeiro de 2006 e detém o recorde de propagação mais rápida. Era transmitido via email, porém, uma vez infectado, se copiava para a pasta de compartilhamento do programa KaZaA para aumentar suas chances de disseminação. Atacava o site www.sco.com e seu desenvolvedor nunca foi identificado.

Conficker – É a mais recente grande praga e surgiu em novembro de 2008. Por usar várias técnicas diferentes de ataque, foi difícil combater sua disseminação e acredita-se que detém o recorde de maior quantidade de infeções. Conseguiu contaminar a Marinha Francesa, o Ministério de Defesa britânico, as forças armadas da Alemanha, a Câmara do Comuns do Reino Unido e a Universidade de Southampton.

Para saber mais

Se quiser encontrar mais informações sobre vírus de computador, dê uma olhada nestes sites:

  • Wikipédia – informações gerais;
  • Worm e Trojan – específico para estes tipos de pragas virtuais;
  • Wikipedia (em inglês) – informações gerais;
  • Vírus notáveis (em inglês) – linha do tempo com os principais vírus e worms.

Imagem de Bruno Biagioni Neto.

Share/Save

O que achou do artigo? Comente.


Feed dos comentários5 Comentários

  1. Rafael

    A maioria é pega por essas pragas simplesmente pq não prestam atenção ao que fazem.

  2. Rafael Perrone

    Concordo em parte com você, Rafael.

    O problema é que nem sempre é por simples descuido ou falta de atenção, mas sim porquê muita gente não conhece os perigos nem as ações necessárias para se proteger.

  3. Claudio

    Cara, no meu primeiro PC, meu primeiro acesso à internet já fui infectado pelo Sasser, que desconectava e inicializava o PC. Traumatizante pra um iniciante.

  4. Rafael Perrone

    Claudio,

    aconteceu uma coisa semelhante comigo. Meu primeiro computador foi um 486 DX2 66. Eu tinha uns 12 anos e meu pai não me deixou instalar jogos para não pegar vírus.

    Em menos de uma semana eu desobedeci a ordem e pedi que um amigo instalasse Civilization (não entendia nada de computadores na época).

    Não deu outra: peguei vírus. Não lembro qual foi, mas já dá pra ter ideia da bronca que levei…

    :-S

  5. [Lembranças que o Google não apagou] Simplicidade da internet de antigamente | FazendoAcontecer.net

    […] difundiu de verdade na país, usamos diferentes navegadores e serviços de busca. Também passamos conexões discadas e, infelizmente, infecções por vários vírus de […]

O que você achou deste artigo? Comente.

http://fazendoacontecer.net / [Lembranças que o Google não apagou] Vírus notáveis da internet